Pular para o conteúdo principal

INCC - Índice Nacional de Custo da Construção

Sandro Souza | 18/09/2021 | 11:00

O INCC possibilita o pleno acompanhamento da evolução dos preços de materiais, serviços e mão-de-obra mais relevantes para a construção civil. Este índice é utilizado como indexador nos contratos de compra e venda de imóveis na planta. O INCC se define de maneira mensal pela Fundação Getúlio Vargas, aferindo-se ao aumento dos custos de insumos que se empregam as construções habitacionais que são financiadas. Esse índice está entre os três componentes do Índice Geral de Preços (IGP), sendo assim, correspondem a 10% de sua composição.



O Índice Nacional de Custo da Construção (INCC) foi o primeiro índice desenvolvido para monitorar a evolução dos preços de materiais, serviços e mão-de-obra destinados a construção de residências no Brasil. Além de se um dos índices componentes do Índice Geral de Preços (IGP) do FGV IBRE, o INCC continua sendo, mais de 70 anos depois, um dos mais importantes indicadores de preços para o seu segmento.

Na década de 50, sua abrangência era limitada à cidade do Rio de Janeiro . Nas décadas seguintes, passou a ser calculado com base na evolução do custo da construção em sete das principais capitais brasileiras.

Como em qualquer grande setor da atividade econômica, são frequentes as inovações introduzidas nos estilos, materiais e técnicas de construção, o que sustenta o ciclo de revisões metodológicas necessárias para manter a aderência deste índice de preços aos desafios que a construção civil brasileira está exposta.

Abrangência geográfica:
Belo Horizonte, Brasília, Porto Alegre, Recife, Rio de Janeiro, São Paulo e Salvador.

Abrangência setorial:
Materiais e equipamentos, serviços e mão-de-obra.

Período de coleta:
• INCC-M, pesquisado entre os dias 21 do mês anterior e 20 do mês de referência;
• INCC-10, entre os dias 11 do mês anterior e 10 do mês de referência;
• INCC-DI, entre o 1º e o último dia do mês de referência.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Depreciação

Sandro Souza | 25/02/2023 | 22:15h A depreciação é a perda de valor dos ativos ou bens de uma empresa ao longo do tempo. Em outras palavras, a depreciação é definida pelo tempo em que um ativo se mantém operante ou necessário para a linha de produção. Esses bens podem ser tanto imóveis, máquinas, equipamentos ou veículos. Olhando para a administração do patrimônio familiar, precisamos ficar atentos pois conforme os bens vão se depreciando ao longo do tempo, a família vai perdendo o valor do seu patrimônio muitas vezes por questões sentimentais, afinal de contas quem quer vender a casa onde os filhos cresceram? Quando falamos de veículos e equipamentos eletrônicos a situação piora pois estes bens eu considero como despesas. Além do custo para mantê-los, as famílias sofrem com a depreciação e muitas vezes não percebem isso. Abaixo algumas dicas que podem fazer a família economizar: 🖋️Avalie trocar de casa pelo menos 1 vez a cada 10 anos. Os ganhos de capital serão expressivos. Use e ab

O que é NDF?

Sandro Souza | 30/10/2021 | 08:30 O mercado financeiro costuma ter um vocabulário próprio com muitas siglas. Mas o tal ‘economês’ pode ser mais simples do que você pensa. Hoje, vou te explicar tudo o que você precisa saber sobre NDF . Obs: Este texto foi escrito pela Michele Loureiro  uma das produtoras de  conteúdo que me ajudam a disseminar o conhecimento sobre este mercado financeiro. A sigla é a abreviação de non deliverable forward, em inglês, que significa simplesmente um contrato a termo sem entrega física de dinheiro. O objetivo é que empresas possam usar o NDF para se blindarem de uma alta ou uma queda da taxa de câmbio. Em suma, o NDF é uma ferramenta criada para ajudar a proteger as companhias das flutuações das moedas e, junto com a trava de câmbio e a opção de câmbio, compõe o portfólio de hedge cambial das instituições financeiras. Particularidades do NDF O principal diferencial da operação de NDF como ferramenta de proteção cambial é que a empresa contratante não precis

Declaração de Imposto de Renda PF 2024.

Sandro Souza | 12/03/2024 | 08:38h Esta quase chegando a hora. No dia 15/03/2024 a RFB vai liberar o acesso ao PGD - Programa Gerador de Declaração da Declaração do Imposto sobre a Renda das Pessoas Físicas (DIRPF). Parece tudo muito complicado e infelizmente tenho que admitir que é.  Nossa legislação tem muitas regras o que provoca diversas armadilhas para o contribuinte que vai fazer sua declaração. São isenções, faixas diferentes, declaração simplificada, declaração completa, forma correta de declarar investimentos, prazos etc:. Dentre esse emaranhado de regras os pontos que julgo mais importantes e que mais contribuem para o contribuinte cair na malha fina são: 📌omissão de rendimentos; 📌omissão de rendimentos dos dependentes; 📌despesas médicas não confirmadas: 📌despesas médicas não dedutíveis: Precisamos ter atenção especial também para os ganhos de capital e principalmente as formas de planejar antecipadamente para poder ter as isenções permitidas pelo governo. É nesse ponto